mitos

Resenha do livro Mitos da Inovação

Scott Berkun trabalhou como a equipe do Inernet Explorer da Microsoft de 1994 a 1999 e deixou a empresa em 2003 com o objetivo de escrever alguns livros. Ele dá aula no curso de graduação de pensamento criativo na Universidade de Washington.
No seu livro Mitos da Inovação, Scott tem como objetivo identificar os mitos sobre inovações, explicando o porque que elas são tão populares, utilizando uma linguagem direta e diversos exemplos e referências.

Ele inicia o livro contando sobre o mito da epifania, explicando a sua origem e como ela nos influencia até os dias de hoje. Usando exemplos de grandes inovadores, explica as diversas trajetórias das inovações, visando sempre o trabalho árduo e o objetivo de cada caminho.
Em outra parte, ele critica os historiadores, pela forma que é abordado o contexto histórico das inovações. Explica que o melhor método de entender a história das inovações, é pensando em vários fatos em paralelo, como se fossem galhos de uma árvore, pois uma inovação nunca é trabalhada em forma de pirâmide.
Muitos dos famosos inovadores não foram necessariamente os primeiros a demonstrar para o mundo suas descobertas. Segundo o autor, pelo fato de termos quase as mesmas experiências de vida e estarmos no mesmo círculo social e cultural, ocasiona vários focos para soluções parecidas para os problemas.

O medo é citado como a maior barreira para os inovadores. Muitas vezes eles recebem críticas muito negativas sobre seus trabalhos e estas, regem um âmbito emocional muito forte. Além das críticas, o inovador tem que avaliar o impacto que o seu trabalho irá causar na sociedade. A propagação de suas idéias devem estar determinadas pela psicologia e pela sociologia, e não pelos seus méritos abstratos.
É relatado a influência das pessoas que detém o poder de decisão em relação aos inovadores. Muitos gerentes não conseguem incentivar suas equipes. Os inovadores encaram muitos desafios para alcançar seus objetivos. Deve manter a vida de suas idéias; manter um ambiente saudável para poder desenvolver; proteger suas idéias de críticas destrutivas; executa-las e convencer as pessoas que ela realmente é uma boa idéia.

Desde nossa infância somos doutrinados a acreditar no mito do herói, da epifania, do bem e do mal e do certo e do errado. Mas, nem sempre o bom e o popular, são as melhores opções. Fatores como cultura, tradição, política e economia, influenciam diretamente no sucesso de uma inovação.

Estruturar bem os objetivos para os desafios aumenta as chances de sucesso. Inovadores devem procurar métodos de resolução não convencionais para trabalhar.
O autor conclui que melhor coisa a fazer, é aceitar tanto as mudanças quanto as tradições. Que as novas idéias e as antigas têm o seu lugar no futuro, e o nosso trabalho é coloca-las lá.

Este livro proporciona uma rápida visão sobre a maneira de pensar da maioria das pessoas. Sempre usando exemplos reais o autor consegue passar as suas idéias, focando sempre a realidade dos fatos.

2 thoughts on “Resenha do livro Mitos da Inovação

  1. Pingback: Paradigma » UZED

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *